Instruction to Red Bull Paper Wings

COMO CONSTRUIR O MELHOR AVIÃOZINHO DE PAPEL POSSÍVEL...

...ou pelo menos um que não embique depois de dois segundos!

• O centro de gravidade do aviãozinho vai determinar a direção na qual ele voará. Sendo assim, faça com que seja o mais dianteiro possível dobrando o papel no bico.
• As asas devem ser finas e planas. A necessidade ou não de um aerofólio ainda é discutida por especialistas; a maioria tende a não recomendar aerofólios nas asas. É aconselhável evitar protuberâncias e rasgos nas asas. Fora de um ambiente de competição você pode usar cola para fixar os elementos.
• Ao dobrar as extremidades das asas você pode influenciar a direção na qual o avião voará; para um efeito ainda maior acrescente ailerons (use uma tesoura).
• A forma de Y é decisiva para a estabilidade do avião. A letra tem o formato que as asas do avião devem ter, ou seja, um Y ou um V vistos pela frente. Os aviões que não tiverem esta forma tendem a rodopiar ao longo de seus eixos longitudinais e cair.
• Em muitas competições, o papel a ser usado fica definido entre o padrão A4 com um peso de 80 g/m2 – aquela folha de papel usada na maioria dos escritórios e fotocopiadoras. Ao mesmo tempo em que o papel certamente nunca deve ser mais leve que 80 g/m2, alguns especialistas preferem papeis mais pesados para voos mais radicais: o detentor do recorde mundial, Ken Blackburn, considera 96 g/m2 o peso perfeito para voos mais longos.
• É fortemente recomendado que os construtores de aviões consultem e observem com rigor os diversos e excelentes guias que existem na Internet sobre como dobrar um avião de papel. Quando dizemos “com rigor”, queremos dizer com rigor mesmo!