Disputa pela vaga mundial do campeonato de aviões de papel acontece nesta quarta-feira na capital

O objetivo da competição é voar, não aterrissar. Para vencer o Red Bull Paper Wings é necessário apenas uma folha sulfite e muita criatividade para definir o formato do avião. Os estudantes concorrem em uma das duas categorias: tempo de voo e distância. Na primeira categoria, ganha o avião que permanecer no ar por mais tempo. Já na distância, vence quem voar mais longe.

Na categoria tempo de voo, os selecionados foram William da Silva, da Universidade Federal do Mato Grosso, que atingiu 10.15 segundos de voo; Rafael Sampaio, da Universidade Positivo no Paran;a, com 8.80 segundos; Jailson Lucas da Universidade Federal de Santa Catarina, com 8 segundos; Danilo da Silva, da Universidade Federal de Goias, com 7.91 segundos e Fabio Vardanega da Unviersidade Federal de Ouro Preto, com 7.88 segundos. O recorde nacional na categoria tempo de voo é de 10,59 segundos e o mundial é de 27, 9 segundos.

Durante todo o mês de março, centenas de universitários arremessaram suas dobraduras de papel em diversas faculdades de norte a sul do país, concorrendo a uma das dez vagas para a final nacional do Red Bull Paper Wings, maior torneio de aviões de papel do mundo. Foram mais de 20 etapas em todo o Brasil. Os cinco melhores colocados de cada categoria, distância e tempo de voo, chegam a Brasília para a final nacional do campeonato, que acontece na UNB no dia 8 de abril ao meio dia. De Brasília, saem os dois vencedores nacionais (um de cada categoria), que garantem o ticket para a final mundial da competição, que acontece em 8 e 9 de maio no famoso hangar 7, na cidade de Salzburg, na Áustria.

Na categoria distância classificaram-se os estudantes Ramon Victor, da Universidade Federal de Alagoas, com uma distância de 32,72 metros; o brasiliense Esdras Soares, do IESB, com 32 metros; Jonatan Peres, da Universidade Federal do Mato Grosso, com 31, 90 metros; Roberto Sidral, da Universidade Federal de Santa Catarina, com 31,25 metros e Bruno Monteiro, da Universidade Federal de Goiás com 30, 61 metros. O recorde nacional de distância de voo é de 33,53 metros e o mundial é de 69, 14 metros.

Para o paranaense Rafael Sampaio, um dos finalistas na categoria tempo de voo, o segredo está no arremesso. “Eu desenvolvi o mesmo modelo que vários dos meus amigos que competiram. Quando a gente ficou sabendo da competição, demos uma pesquisada em diversos modelos na internet, então fomos com aviões bem parecidos, mas acho que foi no lançamento que eu me destaquei e venci. Estou bem animado para a final, acho que tenho chances”, concluiu.

Já para o brasiliense Esdras Soares, um dos finalistas na categoria distância, o diferencial foi o modelo do seu avião. “Desde pequeno eu brinco de avião de papel. Para a competição, desenvolvi um avião pequeno e rápido, que me levou à vitória. Estou bem confiante de ganhar, ontem mesmo treinando já consegui ultrapassar a marca que eu fiz na competição”, afirmou.

Para quem ainda quiser concorrer na etapa da UNB é só se inscrever aqui no site www.redbullpaperwings.com. As inscrições são gratuitas.

PLAY THE GAME
NEXT EVENTS
Check-In
RESULTS
Longest Airtime
1
祺彦 何 (CHN)
14.53 SEC
2
Karol Gut (POL)
14.22 SEC
3
이정욱 서강대학교 (KOR)
14.19 SEC
Longest Distance
1
Giovanni Mamea (NZL)
59.00 M
2
Addison Asuchak (CAN)
57.70 M
3
Joshua Steward (NZL)
53.00 M
Aerobatics
1
Dragomir Roussev (BUL)
30.00 PT
2
Mauricio Gonzalez (MEX)
30.00 PT
3
Dennis George (IRL)
30.00 PT
Longest Airtime
1
Danilo (BRA)
12.01 SEC
Longest Distance
1
Roberto Duarte Cidral (BRA)
30.80 M
Aerobatics