Voar para a glória em Salzburgo

Portugal com resultado histórico: 6º lugar na categoria de Acrobacia.

Apurados à escala global em 535 qualificações, os melhores pilotos de aviões de papel encontraram-se em Salzburgo, na Áustria, para disputar o título mundial do Red Bull Paper Wings. Portugal voltou a marcar presença e alcançou o seu melhor resultado de sempre – o 6º lugar na categoria de acrobacia.

Uma elite de cerca de 200 pilotos de 80 países encontrou-se no último fim-de-semana (9 de maio) no emblemático Hangar 7, em Salzburgo, na Áustria, para participar na mais importante competição internacional de aviões de papel da atualidade: o Red Bull Paper Wings. Esta quarta edição do mundial sucede aos encontros organizados em 2006, 2009 e 2012 – voltando a apresentar números impressionantes em terra e nos ares.

Apurados entre mais de 46 mil candidatos, os eleitos conquistaram o seu lugar na Final Mundial na sequência de 535 qualificações realizadas à escala nacional. Uma competição disputada sob o lema “o objetivo é voar, não aterrar!” que cumpre as regras internacionais da Paper Aircraft Association (PAA) e os regulamentos do Guinness World Record. Partindo de uma simples folha de papel, os concorrentes são avaliados em três categorias – distância, tempo de voo e acrobacia.

Depois de conseguir projetar o seu avião para um impressionante voo de 53,22 metros, o búlgaro Veselin Ivanov acabou por ser coroado o Campeão do Mundo da Distância de Voo:

“Nem acredito que consegui, é um sonho tornado realidade!”

Já no Tempo de Voo o “rei” foi Karen Hambardzumyan, da Arménia. Finalmente, a Acrobacia foi dominada pelo libanês Avedin Tchamitchian. Foi nesta última categoria que o nosso país mais se destacou, com a brilhante prestação de Andrée Miranda – o estudante do Instituto Superior Técnico que misturou magia e técnica para impressionar o júri;

“Sempre disse que vinha à Áustria lutar pelo título e foi isso que fiz. Foi uma superfinal muito intensa e dei o meu melhor. Também me diverti muito e regresso a casa com um sorriso. Foi das melhores experiências que já vivi.”